Artigo da Camila Silveira Souza!

Você desconfiava que o método para  coletar as interações importava, mas a Camila provou isso: Veja em :

Souza, C.S., Maruyama, P.K., Santos, K.C.B.S., Varassin, I.G., Gross, C.L. and Araujo, A.C. (2021), Plant‐centred sampling estimates higher beta diversity of interactions than pollinator‐based sampling across habitats. New Phytol. https://doi.org/10.1111/nph.17334

A divisão de trabalho é uma marca dos organismos sociais, mas o que dizer sobre as plantas?

Recém-publicado o artigo de divulgação científica da Meire e colaboradores:
A divisão de trabalho é uma marca dos organismos sociais, mas o que dizer sobre as plantas?
https://revistabioika.org/pt/ecoando/post?id=83

Que trata de uma forma simples do que foi abordado no artigo científico:
Telles FJ, Klunk C, Maia FR, Brito VLG, Varassin IG. 2020. Towards a new understanding of the division of labour in heterantherous flowers: the case of Pterolepis glomerata (Melastomataceae). Biological Journal of the Linnean Society. doi.org/10.1093/biolinnean/blaa107

Projeto EPHI participa da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Ciência ao Vivo

Nessa Semana Nacional de Ciência e Tecnologia #snct o Ciência ao Vivo abordará o tema #mulheresnaciencia no lançamento e divulgação do livro “Beija-flores: os cupidos da Mata Atlântica”. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Conversaremos com as cientistas e autoras do livro Analí Bustos (Argentina), Andrea Nieto (Equador), Thais Zanata (Brasil) e Isabela Varassin da Associação Brasileira de Ciência Ecológica e Conservação (ABECO).

Veja em: https://www.youtube.com/watch?v=M013BFU93B0

Beija-flores : os cupidos da Mata Atlântica

Acessem o ebook Beija-flores : os cupidos da Mata Atlântica : interações de seis espécies de beija-flor em Santa Teresa, ES : guia de campo, desenvolvido como parte da pesquisa de mestrado de Anali Bustos e o projeto EPHI, no site da instituição parceira, o Instituto Nacional da Mata Atlântica.

Essa é uma das iniciativas do PPGECO em produzir trabalhos de divulgação científica! Esse trabalho foi escolhido para representar o PPGECO no prêmio Curta Ciência 2020, da UFPR:

Parabéns Israel pelo novo artigo!

Schneiberg, I et al. 2020. Urbanization homogenizes the interactions of plant-frugivore bird networks, Urban Ecosystems
https://doi.org/10.1007/s11252-020-00927-1

 

As atividades antropogênicas são a principal causa de perda e fragmentação de habitat, o que afeta diretamente a biodiversidade. A quebra da conectividade da paisagem entre as populações pode afetar interações complexas entre espécies e funções do ecossistema, como polinização e dispersão de sementes, resultando em extinções secundárias. A urbanização, uma das formas mais intensas de mudanças nas paisagens, afeta negativamente a diversidade de aves e plantas. Ainda assim, pouco se sabe sobre os efeitos da paisagem em redes de interação. Investigamos a relação entre a estrutura da paisagem urbana e a rede de plantas e frugívoros em diferentes escalas espaciais. Acoplando dados de interação de áreas urbanas e uma abordagem de seleção de modelo, avaliamos quais fatores da paisagem explicaram melhor a variação nas propriedades das redes urbanas. Nossos resultados indicam que a urbanização diminui a riqueza de aves, principalmente pela perda de espécies especializadas de habitat, o que resulta em redes compostas principalmente por aves bem adaptadas a áreas urbanas. Descobrimos que a equitatividade das interações, uma medida de homogeneidade da distribuição das interações entre espécies, aumenta com a urbanização. Isso se deve ao forte domínio que as aves generalistas tiveram na composição da rede porque eles usaram todas as frutas disponíveis, incluindo plantas exóticas. A homogeneização de interações resultante pode reduzir a resiliência das redes e afetar a eficiência das funções dos ecossistemas. Assim, os planos de urbanização devem considerar a proporção e distribuição de áreas verdes nas cidades, acoplando o bem-estar humano e do ecossistema.

Lindo artigo da Ana Paula, recém publicado. Parabéns!

Correia-Lima et al. 2019 Spatio-temporal effects of climate change on geographic distribution and flowering phenology of hummingbird-pollinated plants. Annals of Botany, mcz079. https://doi.org/10.1093/aob/mcz079

Os impactos das mudanças climáticas sobre o fenologia de distribuição e floração de plantas polinizadas por beija-flores na Mata Atlântica brasileira indicam que as espécies responderão de maneiras diferentes. Modelos de distribuição indicam mudanças futuras na adequabilidade climática de seus habitats atuais, sugerindo uma tendência à descontinuidade, redução e deslocamento espacial. Os modelos de floração indicam que a adequabilidade da floração pode aumentar ou diminuir com uma tendência geral de redução. Estas mudanças na distribuição geográfica e na fenologia de florescimento de espécies polinizadas por beija-flores sob diferentes cenários climáticos podem afetar as interações planta-polinizador, bem como a estrutura das redes ecológicas e o sucesso reprodutivo das plantas tropicais no futuro próximo.